Langhe e Roero

Langa maggio 2013 (9)

Langhe e Roero, localizadas ao sul de Piemonte, são mundialmente famosas pela notável culinária, pelas especialidades dos vinhos, e por suas belezas.  Colinas cobertas por vinhedos, demarcadas por torres medievais, castelos nobres, além de antigos vilarejos, mantêm suas tradições no sabor e no aroma. A atitude sempre acolhedora dos moradores, torna a experiência da visita um verdadeiro deleite. A qualidade nos serviços e o alto nível das acomodações, complementam a tradição local com um toque contemporâneo. Aqui, a elegância das criações arquitetônicas exibem a antiga tradição vinícola da região, enquanto que as novas gerações de vinicultores dão vida nova as suas heranças.

O espírito e a história desta região se mantém viva na longitude de suas videiras. Ao longo do tempo, Langhe e Roero se tornaram legendárias pelo altíssimo nível de DOCG* (Controle de Qualidade de Denominação e Origem*) dos vinhos produzidos na região: Barolo, Barbaresco, Dolcetto di Diano d’Alba, Dolcetto di Dogliani, Roero, e Roero Arneis — bem como pela variedade de vinhos DOC** (Controle de Denominação de Origem**). Para experienciar os vinhos da região, a degustação pode ser feita nas lojas de vinho da região, através de relação de vinhos pré-estabelecida; nas vinícolas, cuja escolha pode incluir vinhos altamente sofisticados e mundialmente famosos, ou mesmo em adegas familiares pertencentes a pequenos produtores. Independentemente da sua escolha (de acordo com o seu paladar pessoal), você irá se surpreender ao ser transportado pelos buquês encantadores oferecidos por estes qualificados vinicultores.

Lugar destinado aos gourmets natos e aos turistas,  Langhe e Roero oferecem excelentes opções da culinária tradicional, que podem ser saboreadas em um de seus inúmeros restaurantes reconhecidos pelo guia Michelin, ou mesmo em uma de suas trattorias de estilo antigo com cardápio nostálgico. Se prepare para saborear o verdadeiro talharim (massas frescas artesanais), agnolotti del plin (pequeninos raviolis artesanais), pratos preparados à base de trufas (tais como risotto) e até mesmo uma deliciosa torta de avelãs. Estas são apenas algumas sugestões para começar.

Os bosques de Langhe e Roero se encontram onde as trufas [ os cogumelos subterrâneos] crescem, cujo aroma é inconfundível. Suas características e mistérios têm fascinado pessoas por séculos e séculos. A trufa branca, também conhecida como “Alba” (Tuber Magnatum Pico), espécie internacionalmente famosa, é também o símbolo da região.

Venha explorar a região o ano todo, até mesmo no inverno, que é quando os vinhedos repousam.  No entanto, caso você queira desfrutar e participar de atividades sazonais como colheita e caça a trufas, então sugiro que venha entre setembro e a primeira semana de novembro, que é quando acontece a Feira Internacional de Trufas Brancas de Alba. Em outubro, a corrida de burros é atração em Alba, considerada outra tradição da época medieval.

 

Vinhos DOCG* e  DOC**

“Estas denominações significam que o vinho foi produzido a partir de uma variedade específica de uva, cultivada em determinada área geográfica. Significam também que o vinho foi produzido e envelhecido de acordo com padrões pré-estabelecidos de cor, aroma, sabor, teor alcoólico, acidez etc. Os produtores devem requerer ao comitê nacional o reconhecimento DOC, como prova de que o vinho está profundamente enraizado as tradições da região. O status DOC só é conferido mediante decreto emitido pelo governo, após aceitação do Comitê DOC. Uma comissão especial deve checar o vinho antes e após a produção. Os vinhos DOCG são considerados como os “Top List”. O produtor só pode requerer por esta categoria, caso já seja denominado DOC há pelo menos 5 e se for capacitado a demonstrar sua alta reputação em níveis nacional e internacional. O status DOCG foi conferido aos vinhos Barolo, Barbaresco e Brunello di Montalcino em 1980.”

Texto “Speaking of Wine” (“Falando sobre Vinho”), por Maria Farone Rosso, Patricia Guy, Josephine Taylor, Edição Omega.

 

 

 

Serralunga in distanza

Para ver mais fotos da galeria, clique em Langhe and Roero Galeria de Fotos.

 

>>>Alba

Alba [1-hr de Turim]

A acolhedora cidade de Alba, é capital do distrito de Langhe e conhecida como “a cidade das 100 torres”, devido a sua arquitetura de característica medieval, que até hoje causa deslumbramento para aqueles que a visitam:  tijolos e pedras que sobem aos céus em formato de prédios e torres, construídas por famílias nobres locais. Fundada como colônia romana e local de nascimento de um imperador romano, Alba cresceu no Império Médio como sendo centro comercial, fortalecendo-se mais tarde por tornar-se base à oposição antifascista. Atualmente, Alba é o coração da indústria de produção de vinho e lar de empresas alimentícias tais como Ferrero. Sua civilidade e vida religiosa é refletida em sua arquitetura, que inclui várias igrejas, praças, prédios privados de remanescentes romanos e portas românicas de design barroco e neoclássico. Passeando ao redor de suas duas ruas principais, você tem opções de fazer uma parada para degustar vinho e trufa de primeiríssima qualidade, ou mesmo de deliciar-se com “Delicatessens”. Uma ótima seleção de restaurantes gourmet e trattorias farão de sua viagem em Alba, uma estadia completa e inesquecível. Se sua visita for no sábado, você terá um bônus extra: o mercado de rua, que continua acontecendo exatamente no mesmo local desde o século XII.

Se for de seu interesse, basta fazer uma curta viagem com origem no centro de Alba e você encontrará várias aldeias, onde poderá se aprofundar ainda mais nas maravilhas da vinicultura. Eis algumas sugestões:

Terracotta-collored Barolo, local de origem do vinho mundialmente famoso, casa do intrigante Museu do Vinho;

Grinzane Cavour, com seu castelo que hospeda o Leilão de Trufa;

La Morra— assentada como que uma escultura no topo de uma colina, com vista panorâmica de tirar o fôlego. Parada popular aos amantes do vinho;

Serralunga — imponente castelo medieval;

Barbaresco — como que se fosse dominada por uma torre grandiosa, com vista para o vale do rio Tanaro e

Neive — que se parece com uma caixa preciosa cheia de surpresas.

 

bicchiere di Giulia

>>>Bra

Bra [1-hr de Turim]

Capital da região de Roero na margem Norte do rio Tanaro, Bra é uma pequena cidade, cuja maioria dos prédios históricos são em estilo barroco. Possue cultura fortemente agrícula, com destaque na produção de queijo e carne, que são considerados o rei e a rainha da culinária local. A carne é ingrediente básico para a salsicha considerada “única”  (salsicha de Bra) e o queijo (queijo de Bra) é a inspiração para a feira internacional, que acontece cada dois anos, chamada “Queijo”.  Não foi por acaso, que o Movimento Slow Food foi fundado aqui.*

Vale a pena mencionar, que em uma curta viagem de carro nas áreas ao redor de Bra, você também pode conhecer:

Cherasco, cidade medieval com arquitetura requintada, onde os olhos podem alcançar uma das mais belas vistas dos Alpes, e onde se pode facilmente ficar com água na boca ao caminhar ao redor de suas lojas de chocolate. Anualmente no mês de junho a cidade hospeda a Feira Nacional dos Criadores de Caramujos.

A antiga cidade romana de Pollenzo, que foi transformada por um rei em um patrimônio neogótico, é também a casa da única “Università del Gusto” (Universidade de Culinária Italiana) e  ser a cidade de Canale – terra dos vinhos de Roero e de Roero Arneis.

* Movimento Slow Food, trata-se de uma organização internacional mantida por 150 países no mundo todo, que une o prazer pela boa comida ao compromisso para com a comunidade e para com o meio ambiente, cujo objetivo é promover com seriedade: comida de boa qualidade, saborosa e limpa.